Inici > Lluites > Deixem a mulher nua em paz

Deixem a mulher nua em paz

Como já bastaram quase cinquenta anos de “censura prévia” e apreensões de livros pela polícia política fascista, a publicação de jornais, livros e outras publicações é absolutamente livre em Portugal.

courbet

A Origem do Mundo, de Courbet

Pelo menos em teoria. É que há outras polícias em acção. A PSP é a Polícia de Segurança Pública, isto é, pretende ocupar-se daquilo que põe em risco a segurança pública, como o nome indica. Pois estes senhores, na sua representação em Braga – a catolicíssima Braga, terra de bispos, bombistas e beatos – entenderam que podem exercer censura sobre a cultura. E assim, na Feira do Livro de Braga, resolveram apreender os exemplares de um livro à venda. Porquê? Pareceu-lhes pornográfico. Porque na capa está a figura de uma mulher nua, reproduzida do quadro “A Origem do Mundo”, do pintor Gustave Courbet, socialista convicto, crítico cáustico da sociedade burguesa da época e fundador do realismo na pintura.

A exibição desta mulher nua já há 140 anos tinha sido proibida. Do alto da sua ignorância e preconceito, estes senhores polícias nada mais fizeram, afinal, do que reproduzir os seus actos e neste nosso século XXI aquele ditame tão conhecido de que será castigada toda a nudez, sobretudo quando se trate de uma mulher de pernas abertas e sexo à mostra.

Sempre vigilante, quem sabe se inspirada na velha PIDE ou quiçá na santidade misógina dos textos sagrados que abominam o corpo da mulher, esta polícia não apreendeu só uns livros. Quis tutelar a liberdade e impor-lhe limites, quis estigmatizar como impuro o corpo feminino, quis apoderar-se da pobre mulher, levá-la presa, sentenciá-la e se possível aplicar-lhe uma pena.

Eles não sabem que antigamente as mulheres dos pescadores levantavam as saias para o mar para amansar as tempestades. Nada era mais eficaz, também, para repelir demónios, contrariar maus feitiços, propiciar colheitas férteis, etc. Apesar da censura das religiões monoteístas e da sua omnipotência no processo histórico de submetimento das mulheres, servos, escravos e crianças ao arbítrio patriarcal, o povo praticou durante muito tempo este acto pagão, reminiscente daquelas épocas em que a deusa da fertilidade – símbolo da origem do mundo – reinava sobre todos nós para exaltar o poder criativo, ordenador e benéfico do sexo feminino, gerador de vida, harmonia e energia.

A polícia já reconheceu que não havia fundamentos para a apreensão e promete devolver os exemplares. A segurança pública continua, foi só um engano, ainda não chegámos ao fascismo. A organização da feira vai avançar com uma queixa. Faz ela muito bem. E por favor, deixem a mulher nua em paz.

De Kaosenlared.net

Categories:Lluites
  1. Encara no hi ha cap comentari.
  1. No trackbacks yet.

Deixa un comentari

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

Esteu comentant fent servir el compte WordPress.com. Log Out / Canvia )

Twitter picture

Esteu comentant fent servir el compte Twitter. Log Out / Canvia )

Facebook photo

Esteu comentant fent servir el compte Facebook. Log Out / Canvia )

Google+ photo

Esteu comentant fent servir el compte Google+. Log Out / Canvia )

Connecting to %s

%d bloggers like this: